Veja como proporcionar um controle de jornada de trabalho eficiente e seguro!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O controle de jornada de trabalho é uma tarefa essencial para qualquer empresa que tem mais de 20 funcionários. Mas, além de obrigatória, essa é uma ferramenta muito útil para os negócios e seus colaboradores. Afinal, dessa forma é possível acordar uma quantidade mínima e outra máxima de horas que devem ser trabalhadas, garantindo segurança para os dois lados. 

 

Para o financeiro da empresa, esse controle também é essencial, afinal é a partir das horas trabalhadas que se contabiliza os custos com folha de pagamento e despesas relacionadas — aqui, entram custos indiretos, como luz, internet, desgaste da infraestrutura, entre outros. 

 

Mas como fazer uma gestão de jornada de trabalho eficiente e segura, ainda mais em um contexto de home office e trabalho híbrido? Acompanhe o texto e saiba!

 

Controle de jornada de trabalho: como funciona?

A lei trabalhista presente na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê que estabelecimentos com mais de 20 funcionários façam o controle da jornada de trabalho. O modo mais popular de fazer isso é por meio do ponto e, hoje em dia, mais especificamente o ponto eletrônico. 

 

De acordo com a lei, uma jornada de trabalho deve durar, em média, 8 horas diárias, não passando de 44 horas semanais. Mas, caso seja preciso um esforço a mais dos funcionários, é possível que esse limite se estenda por mais duas horas diárias — que deverão ser pagas e/ou fazer parte de um sistema de banco de horas. 

 

Mas a empresa precisa fazer o controle da jornada de todos os funcionários? Não necessariamente. Para cargos de confiança, por exemplo, não é preciso que o colaborador bata o ponto. Aqui estamos falando dos níveis mais elevados da hierarquia da empresa, como gestores, c-levels, coordenadores, entre outros. 

Como fazer o controle de jornada de trabalho?

Para fazer o controle da jornada de trabalho de forma eficiente e segura é preciso contar com um sistema de ponto. Isso porque, dessa forma, os dados são contabilizados de forma automática, mostrando qual a situação de cada funcionário em tempo real. 

 

Além disso, com sistemas mais completos, as empresas podem controlar quais acessos o  profissional pode ter no horário de trabalho e ainda bloquear seu computador após as 8 horas trabalhadas — salvo em casos de horas extras acordadas previamente. Assim, é possível ter certeza de que as horas acordadas não serão ultrapassadas.

 

Mas e no home office? O sistema de ponto com máquina e papel já ficou para trás. Os softwares de hoje são capazes de registrar o ponto de qualquer lugar, sendo assim, mesmo em modelos híbridos de trabalho, as empresas não precisam se preocupar. Isso porque, tanto de casa quanto do escritório, o colaborador consegue acessar o mesmo sistema e registrar suas horas. 

 

Os dados presentes nos softwares de controle de jornada de trabalho são protegidos pelas mais eficazes tecnologias, o que faz com que sejam confiáveis e estejam de acordo com as diretrizes de proteção de dados. 

 

Assim, tanto os funcionários podem se sentir seguros de que suas horas normais e extras estão sendo contabilizadas de forma certa, quanto a empresa pode ter o registro eficaz das jornadas de trabalho.

 

Isso é importante porque, caso haja alguma discrepância no que tem registrado e o que prevê a lei, o profissional pode processar a empresa, formando passivos trabalhistas. No fim, isso se traduz em mais um custo para o negócio.Portanto, o controle é uma forma de contenção de gastos também.

 

Se você quer ter eficiência e segurança no seu controle de jornada, conheça o SCUA Logon e garanta todo o controle de jornada dos seus colaboradores!


Deixe uma resposta